Brinquedos de adulto

Crescer não significa para de brincar, só que depois de uma certa idade, os brinquedos são outros. Brinquedos de adultos não devem ser despresados, volte a ser criança e brinque com muito prazer, Ah… E se sobrar um tempinho, deixa um comentário, afinal de contas, a gente não tem como saber de você ficou excitada, a não ser se você nos contar.

Conto Erótico – Brinquedos de adulto

Naquele dia eu havia esperado a manhã toda até que Tatiana chegasse. Teríamos uma conversa, estava tudo preparado.
Quando Tatiana chegou, eu a coloquei sentada de frente para mim. Tentei olhar nos seus olhos e dizer tudo que estava sentindo, era simples… Respirei fundo e comecei o roteiro.
Disse a Tatiana que precisávamos usar acessórios. Não era uma imposição, mas apenas uma vontade que eu tinha. Nossa vida sexual era maravilhosa e estávamos sempre experimentando novas sensações, mesmo assim eu sentia vontade de vê-la usando um Dildo.
Disparei a falar. Foram quase 10 minutos quase sem respirar. Vendi a ideia e esperei o melhor resultado. Talvez não tivéssemos nada naquele dia… Não sei… Sem querer, eu poderia ter acabado com o tesão dela, mas estava feito.
Depois do meu ponto final, Tatiana continuava calada. Não fui meiga e queria dominar a situação, estar no controle. Pelo menos eu achava que queria.
Olhando nos meus olhos, Tatiana mostrou uma nova atitude. Seus olhos, como sempre penetrantes, não desviavam dos meus nem por um segundo. Eu estava tão ansiosa que nem percebi o quanto ela estava sexy com uma roupa que eu nunca tinha visto. Parecia uma colegial, com uma saia rodada preta e curta e uma camiseta branca de manga comprida e botões. Adoro botões…
Tatiana afogou seus dedos nos meus cabelos castanhos e cacheados e me puxou pra si, me fazendo levantar de uma só vez. Encostou seu corpo no meu enquanto seus olhos me comiam… fiquei com tesão, senti vontade de ser penetrada pela Tatiana e de ter o meu corpo tremendo enquanto seus dedos entravam e saiam de mim… Minhas pernas tremeram com essa imagem e ela percebeu mais uma vez o meu ponto fraco: ser dominada.
Enquanto me beijava, Tatiana deslizava sua mão para dentro do meu short… eu estava sem calcinha. Não me tocava, apenas chegava perto, me fazia sentir o calor de sua mão e me deixava morrendo de vontade… Me olhando, beijando e deixando tocá-la, rebolava seu bumbum super grande e esfregava em meu corpo, me deixando louca…
– Você não vai dizer nada? – perguntei a Tatiana.
– Você já disse quase tudo… Onde quer penetrar?
Gaguejei e não respondi.
Depois de me provocar bastante, Tatiana seguiu para o quarto sem me dizer nada… Impossível vê-la rebolando e não admirar, principalmente com aquela saia.
Acompanhei seus movimentos até o quarto e, quando chegamos, esperei que tirasse a calcinha. O dildo duplo com o cinto já estava na cama e minha pernas ficaram bambas quando a vi virando de costas, sorrindo muito safada e se tocando sem pudor.
Fiquei confusa por um instante, queria chupá-la, penetrá-la. Queria sua língua quente sugando meu clitóris. Tudo ao mesmo tempo seria ótimo.
– Vai ficar olhando? – perguntou Tatiana
– Claro que não – Respondi.
– Então, o que está esperando?
Não conseguia sair do lugar, parecia a primeira vez que eu comia a Tatiana.
– Já que você não vem, eu vou…
Tatiana penetrou um lado do dildo em si mesma. Prendeu o cinto, me pegou pela cintura e me deitou na cama. Meu corpo tremia, parte de mim estava assustada, mas seu carinho me acalmava.
– Por que você está com medo? – perguntou.
– Não sei, já fiz isso outras vezes, mas dessa parece diferente.
– O que quer que eu faça?
– Antes de tudo, quero te abraçar, sentir seu cheiro e seu corpo sobre mim.
– Seu pedido é uma ordem…
Seus movimentos eram ritmados e o vai e vem do seu corpo fazia seus seios tocarem meu rosto. Na altura da minha boca, pude sentir o seu sabor enquanto entrava e saia de mim.
– Está tudo bem? – perguntou Tatiana preocupada e continuou – você está fazendo cara de dor.
– Eu sei, é que às vezes doe.
– Não era isso que você queria? Não estou fazendo certo?
– Sim, está… É que sou muito apertada e o dildo é muito grosso… acho melhor continuarmos sem ele, Tati. Você se importa?
– Claro, meu amor… Eu ainda tenho meus dedos, se você sentir vontade.
Deitamos uma de frente pra outra e começamos a nos beijar, sem pressa. O sexo já não era mais tão importante. Mesmo assim, nos acariciamos e sem pressa chegamos ao orgasmo.

—————————————–

Colabore com o site, faça uma doação de apenas 5 reais ou qualquer outro valor.

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.