Como_surgiu_amor

Como surgiu o amor?

Como surgiu o amor?

Nunca tinha pensado sobre como surgiu o amor, mas se me perguntassem eu responderia que o amor surgiu depois que Eva foi criada. A explicação que Aristófanes, dramaturgo da Grécia Antiga e considerado o maior representante da comédia antiga. Faz no Banquete também me lembra Adão e Eva. Achei uma maneira muito linda de explicar como surgiu a homossexualide e a heterossexualidade.

Essa seria também, a melhor explicação para o que chamamos de alma gêmea. Eu ainda estou procurando a minha.

Aristófanes começa seu discurso advertindo que para entender o amor é preciso antes conhecer a história da natureza humana e, dito isto, passa a narrar o mito da nossa unidade primitiva e posterior mutilação. Segundo Aristófanes, havia inicialmente três gêneros de seres humanos, que eram duplos de si mesmos:

Duas_metades_que_se_encontram3Havia o gênero masculino masculino
Duas_metades_que_se_encontram1Havia o gênero feminino feminino
Duas_metades_que_se_encontram2Havia o gênero masculino feminino

Havia o gênero masculino masculino, o feminino feminino e o masculino feminino, o qual era chamado de andrógino. Nas palavras do poeta:

É então de há tanto tempo que o amor de um pelo outro está implantado nos homens, restaurador da nossa antiga natureza, em sua tentativa de fazer um só de dois e de curar a natureza humana. Cada um de nós portanto uma téssera complementar de um homem, porque cortado com os linguados, de um só em dois; e procura cada um o seu próprio complemento.

Assim, aqueles que foram um corte do andrógino, sejam homens ou mulheres, procuram o seu contrário. Isto explica o amor heterossexual. E aquelas que foram o corte da mulher, o mesmo ocorrendo com aqueles que são o corte do masculino, procurarão se unir ao seu igual. Aqui Aristófanes apresenta uma explicação para o amor homossexual feminino e masculino. Quando estas metades se encontram, sentem as mais extraordinárias sensações, intimidade e amor, a ponto de não quererem mais se separar, e sentem-se a vontade de se “fundirem” novamente num só. Esse é o nosso desejo ao encontramos a nossa cara metade.

O amor para Aristófanes é, portanto, o desejo e a procura da metade perdida por causa da nossa injustiça contra os deuses.

Fonte: Wikipédia

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.