conto_erotico_Diga sim pra mim

Diga sim pra mim

Para quem não leu o primeiro conto: “Eu odeio Química (até conhecer a professora)”

Eu me chamo Laura, tenho 24 anos, 1,69 metros de altura, pele clara, cabelos lisos e ruivos. Meus olhos são negros, seios médios, mas tenho uma bunda grande.
Eu namoro há sete anos. A minha namorada, Lívia, é morena, alta, linda! Tem um corpo maravilhoso! Ela é daquelas que vai à academia 3 vezes na semana. Tem a pele bronzeada, cabelos lisos pretos, um pouco abaixo do ombro. Seus seios são grandes e tem uma bunda de deixar qualquer um de quatro! Realmente, minha namorada é linda!

Lívia foi meu primeiro amor, mas não foi minha primeira experiência lésbica. Nós nos conhecemos na escola. Ela lecionava a matéria que eu mais odiava: a Química. Além disso, era noiva de um dentista. Mesmo assim, nos apaixonamos e aprendi a gostar da matéria e, com o tempo, aprendi a amar a Lívia. Passamos por momentos de certo modo críticos: a aceitação das famílias. No meu caso foi bem sucedida. Meus pais aceitam e adoram a Lívia, mas infelizmente a família dela pediu para que ela se afastasse deles. Hoje eu e meus pais somos a família de Lívia. E hoje à noite aqui no mirante eu vou pedi-la em casamento. Eu não tenho dúvidas. Esses sete anos de relacionamento me mostraram que ela é a mulher da minha vida.

– Se alguém nos vê… – disse Lívia.
– O que é que tem? Somos apenas um casal apaixonado namorando a luz do luar no mirante.
– Ponto de vista romântico o seu,amor.
– Espera.
– Onde vai?
– A lugar nenhum, só vou pegar meu celular na bolsa. Vem tirar uma foto comigo.

Tiramos algumas fotos, inclusive dando selinho, abraçadas.

– Chega de foto. Já está tarde, tudo deserto. É até perigoso estarmos aqui. Vamos pra casa!

Enquanto ouço Lívia falar sobre a falta de segurança no Rio de Janeiro, fico mexendo no celular e procurando a, aquela que elegemos como nossa música há 7 anos atrás, no começo de tudo.

Enfim achei e coloquei pra tocar. A música? É More Than Words, da banda Extreme.

– O que tá acontecendo, meu amor?
– Por que pergunta?
– É nossa música e a gente não ouve ela sempre, só em ocasiões especiais.

Enquanto ela não para de falar, eu, de cabeça baixa, pego a caixa de alianças e me ajoelho à sua frente.

– Laura? O que é isso, meu amor?
– Lívia, nossa história é bem louca, eu sei. Mas se uma coisa que eu também sei, é que eu te amo muito! Nós sempre fomos fieis uma a outra, tivemos nossos obstáculos sim, como qualquer casal, pessoas que tentaram dificultar nosso amor.

Mas em sete anos você me ensinou mais do que Química, você me ensinou a ser uma boa filha, uma boa aluna, me ensinou a arte de viver a dois, me ensinou a amar, me ensinou o que é o amor. Hoje eu me pergunto o que eu fiz pra merecer você? Que fez minha vida ganhar cor, brilho, que faz todo dia com esse teu jeitinho a vida ser especial.

– Para, meu amor…

Nós duas naquele cenário, ela já em prantos e eu com os olhos marejados. Eu sabia que aquele meu ato era sério, sabia que meu ato mudaria nossas vidas para melhor. Afinal, quem não quer acordar todos os dias ao lado de uma mulher linda, cheirosa, a mulher da sua vida.

– Me deixa terminar. Essa noite que eu preparei pra nós duas foi para celebrar nosso amor, nossos sete anos de namoro. Já faz sete anos que eu sei o que é amor. Então, dona Lívia Montenegro, eu estou aqui, ajoelhada diante de você, porque eu quero você para o resto da minha vida!

Lágrimas escorriam dos olhos de ambas, ao mesmo tempo que os sorrisos enchiam nossas faces.

– Você não existe, Laura!
– Eu existo, e sou sua! E estou literalmente aos seus pés para dizer: Lívia Montenegro, aceita se casar comigo?
– Eu quero sim, meu amor! Eu quero muito!

Eu me levantei e coloquei o anel de noivado em seu dedo e ela também fez o mesmo.

Não demorou muito para estarmos abraçadas e aos beijos, fazendo juras de amor.

– Mulher chorona!
– Sou mesmo – respondeu ela, fazendo bico.
– Meu anjo, para de chorar! Vou achar que você está chorando de tristeza!
– Boba, claro que não! É de alegria!
– Que bom, porque depois que me formar, quero me casar com você! Ou seja, temos 8 meses para preparar o nosso casamento, ver vestidos, cerimonial, festa e viagem, convite, local, alianças, DJ… e buffet, é claro!
– Vou adorar isso tudo!
– Vem, vamos sair daqui. Vamos pro meu apartamento. Tem algo nos esperando.
– Hummm… O quê?
– Surpresa…

Saímos abraçadas sorrindo, em direção ao carro. Nunca me senti tão feliz!

No prédio, dentro do elevador, não resisti e comecei a beijar ela ali mesmo! Dane-se câmera de segurança! Dane-se qualquer coisa! Para mim só existia eu e minha noiva!

Abri a porta do apartamento e, sem mais conversa, fui levando-a para o quarto. Ela ria de toda minha presa, de todas as batidas de canelas que eu dei nos móveis, afinal sim, sou estabanada, ainda mais na situação que eu estava. Virei-a de costas e fomos caminhando até o quarto. Quando ela abriu a porta, simplesmente não acreditou: a cama estava cheia de pétalas de rosas.

– Ai, que coisa mais linda – disse ela surpresa.
– Fiz pra nós.
– Te amo, minha mocinha!
– Também te amo, meu anjo!

Beijei-a com vontade, aquele beijo devagar, como se estivesse aproveitando cada espaço daquela boca. Se o beijo estava devagar, não poderia dizer o mesmo das minhas mãos, que procuravam incansavelmente o zíper do seu vestido.

E achei, puxei aquele zíper e aquele lindo vestido azul caiu, para minha alegria. Pode ser um pouco clichê isso, mas mesmo depois de sete anos de namoro, eu ainda me surpreendo e fico babando com o corpo dela. Será que isso é normal? Eu não sei, mas acho que isso faz parte da palavra amor.

Ela me virou e começou a tirar minha saia e minha blusa.
Óbvio que eu deixei! Deixei-a comandar a situação, a deixei fazer o que quisesse de mim…

Ela me jogou na cama e veio pra cima de mim, bem devagar, me devorando com os olhos, começou a me beijar e a passar a mão em mim com toda calma…

Tirou meu sutiã, lambeu meu pescoço e sussurrou no meu ouvido.

– Minha gostosa, só minha.

E logo em seguido mordeu minha orelha. Ela sabe como me deixar louca!

Uma vantagem de relacionamentos longos é essa! A gente sabe muito bem como deixar a pessoa louca, já sabemos os pontos fracos, já sabemos o que as excita.

Aquilo me e quando eu dei por mim, ela já estava entre meus seios, beijando, apertando e, sem demora, começou a sugar, a lamber seio por seio, me deixando louca.

Queria mais, sentir ela sobre mim, sentir o cheiro, o toque, sua língua passando sobre o bico do meu seio. Isso me deixava louca, mais louca ainda quando ela começou a chupar e olhar pra mim, aqueles olhos safados de quem se contenta em ver uma mulher à mercê de seu toque.

Fiz um sinal com o dedo chamando-a para beijá-la e ela veio. Veio me mordendo os lábios, puxando meu cabelo e lambendo meu pescoço. Consegui tirar seu sutiã e comecei a aranhar as suas costas, afinal ela me devorava. Eu estava presa com ela sobre mim, me lambendo a orelha, o pescoço.

Ela sugava minha boca e me beijava como louca.

– Quanto mais você me arranhar, mais eu vou gostar.
– Tira sua calcinha vai, deixa eu te chupar…

Ela se levantou, tirou sua calcinha e subiu em cima da cama, ficou de pé e, andando até chegar na direção da minha boca, agachou-se, deixando eu chupá-la inteira. Ela gemia e sentia suas pernas tremerem. Seu gosto era incrível… Ela passava suas mãos no meu pescoço, se inclinava até chegar em meus seios e apertava-os,

Fez questão de deitar sobre mim e assim ficamos num 69 delicioso. Ah, que gostoso! Seu clitóris… Podia senti-lo rígido e, quanto mais eu lambia, mais ela se contorcia. Sabia que iria gozar! E sentia o mesmo dela, chupei e muito, muito, até ela não ter mais força de me chupar.

– Ai delícia, amor! Não para não… Isso… Vai, gostosa, não para!

Senti seu nervo enrijecer, senti ela desfalecer ali. Ficamos naquela posição por alguns minutos, ofegantes, no silêncio, até que ela começou a me dar beijinhos na coxa.

Levantou e veio até a mim. Sorrindo, me abraçou.

– Está feliz? – perguntei.
– Muito! A noite foi perfeita. Pedido de casamento e ainda de joelhos, com uma declaração linda!
– Quero te fazer muito feliz
– Você faz! Vem aqui, vem me fazer sua de novo!

Subi em cima dela e comecei a beijá-la, beijos leves, porém intensos. Senti a sua respiração condenar que ela já estava louca pela segunda vez. Coloquei meus dois dedos na sua boca e fiz com que ela chupasse bem gostoso, deixando-os bem molhados. Enquanto eu lambia seus seios, senti ela se arrepiar inteira quando mordi de leve o biquinho de cada um deles. Deixei meus dedos em sua boca e desci em seu corpo. Abri suas pernas e comecei a chupá-la. Seu corpo retorcendo, seus gemidos altos: não tinha coisa melhor. Seu nervo rígido, seu corpo sentindo tudo aquilo que eu fazia com minha língua dentro dela… Senti que ela iria gozar. Tirei meus dedos de sua boca, melados de tanta saliva, e enfiei devagarzinho, tirava e colocava sem pressa. Curti aquele momento. Até que comecei a ir mais rápido, e ela gemendo pedindo pra que eu não parasse. Aumentei a intensidade e ela gozou de novo.

Fiquei olhando-a e resolvi dar um jeito de também poder gozar pra dormir abraçadinha com ela.

Sentei em cima da sua e comecei a esfregar minha bucetinha nela. Ela vendo aquilo, deu um sorriso malicioso e levantou um pouco sua coxa.

Eu fui ao delírio, esfregava como louca até que meu gozo veio, intenso, forte, me deixando totalmente bamba. E caí por cima dela, ficando ali parada, recebendo carinho nas costas.

– Estamos totalmente suadas (risos).
– Eu já não sei o que eu estou mais, suada ou melada.
– Humm… Delícia!
– Larga de ser tarada, dona Lívia! (risos).
– Eu sei que você gosta.
– Adoro! Amor, a gente vai dormir mesmo nessa cama cheia de pétalas amassadas com esse lençol molhado?

Bom, depois dessa minha pergunta não teve como não rir, e rimos muito!

– Ué, amor. Melhor não. Vamos descansar um pouquinho, minhas pernas estão bambas, mas depois a gente se levanta e trocamos a roupa de cama.
– Podíamos tomar um banho. O que acha?
– Amei a ideia!
– Fechado!
– Amor?
-Oi.
– Obrigada por essa noite incrível, te amo.
– Também te amo, meu amor.

Por hoje é só. Gostou desse conto? Deixa um comentário e clica no linke abaixo!

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.