Eu prefiro as mulheres, essa é a maior certeza que tenho na vida!

Esse site não é só sobre sexo, é sobre ser mulher, sobre ser negra, gorda, cacheada, ter coragem de assumir seus próprios interesses, sobre mulheres que amam muito, principalmente sobre mulheres que amam outras mulheres.

A maioria das pessoas que chegam até aqui, pesquisaram por “contos eróticos lésbicos” no Google. Se esse for o seu caso, devo te dizer que você continuará encontrando esse tipo de assunto, mas não será o único assunto no site. Somos seres em constante transformação e essas transformações afetam a forma como pensamos. Eu ainda penso histórias eróticas, mas decidi dar um rumo diferente para o site.

Site, blog, ainda fico confusa sobre como chamar. Esse espaço na web, já mudou algumas vezes. Comecei postando vídeos de humor, designer de inovação, tecnológica e essas coisas que bombavam na internet. Até que um dia, escrevi um texto e pedi para uma colega de trabalho fazer a revisão. O texto simplesmente não fazia sentido, era uma mistura dos meus pensamentos confusos, com sei lá o que, mas foi o início do blog como um lugar de confissão. Minha colega se recusou a revisar o texto, então, tive que reescrever, já que antes, todos os textos do site só eram publicados depois de uma revisão gramatical.

Dessa reescrita surgiu o primeiro conto erótico da Tatiana, nem me lembro como escolhi esse nome, mas naquele momento eu estava vivendo um amor não correspondido, por uma mulher que ainda estava no armário. Era um erro, eu sabia, se apaixonar por alguém que preferia ficar na escuridão de uma caixa de madeira a sair e ser feliz com alguém de sentimentos e intenções sinceras. Chutar a porta e se entregar ao amor, superando todo o preconceito da família e amigos, sem contar os filhos. Como encarar os próprios filhos e dizer, eu prefiro as mulheres?

É preciso ter coragem para ser feliz, porque a felicidade custa caro e nem todo mundo está disposto a pagar o preço, a Tatiana, por exemplo, não estava. Ela se contentava com pequenas doses de felicidade, pequenos momentos de liberdade vigiada. Muitos “héteros” fazem isso, não sofri por falta de experiência porque eu já tinha passado por isso antes, mas tentei me enganar de que seria diferente com a Tatiana, era tanta química, tanta afinidade, como podia alguém jogar tudo isso fora? simplesmente não fazia sentido.

Mas ela jogou… Deixo aqui um valioso conselho para comunidade LGBT e até para para alguns héteros, que sonham em converter homossexuais. Quem nunca ouviu algum homem dizer “meu sonho é ficar/pegar/transar/namorar uma lésbica”? Cara… é melhor deixar cada um no seu quadrado. Se você sonha com o improvável, tem que arcar com as consequências. Eu sabia que era pouco provável que a Tatiana enfrentasse o mundo para ficar comigo, mas eu assumi as consequências de tentar, mesmo quando tudo me mostrava o contrário, eu tentei e sofri no final, sofri muito!

Durante todo esse sofrimento, antes que a gente se separasse totalmente, eu consegui eternizar nossos momentos em alguns contos. Claro que não literalmente, apenas usei referências, capturei momentos e criei algumas histórias em torno disso, como fazem os escritores, transformando a vida em fantasia e mostrando como seria viver nesse mundo de faz de conta. A medida que cada conto ia sendo publicado no blog, eu ia me sentindo mais leve, de certa forma era como se eu estivesse vivendo através das histórias. Era lindo!

A medida que o sentimento não vivido por Tatiana foi sendo superado, minha capacidade de escrever sobre ela foi indo junto e após um longo período sem inspiração, acabei parando de escrever no blog. Recebi muitas mensagens, e-mails, comentários no antigo Blog Mulheres Novas, respondi todos que podia, mas a bendita criatividade sorria pra mim, mas não me beijava. Foram muitos meses sem publicar, eu sei, isso desmotivou alguns seguidores e eu lamento muito. Quero aproveitar para pedir desculpas para as pessoas que me leem desde aquela época.
Tudo que escrevo vem do coração, meu coração manda em tudo, não só no amor, em todas as minhas relações, até no trabalho, quando ele está cheio eu acabo dizendo ou escrevendo coisas que eu nem sabia que estavam alí. Graças a Deus, desde que comecei o blog, meu coração nunca fica calado por muito tempo e finalmente voltei a escrever.

Talvez não com a mesma mesma intensidade da Tatiana, mas eu gostei de contar e de viver cada uma delas. Não foi fácil esquecer o que vivemos e sempre eu conhecia alguém, falava sobre o Blog, sobre a minha história e tudo mais, por causa desse registro, por causa do Blog, algumas mulheres ficaram receosas de estarem comigo, só por medo de virarem um personagem de contos eróticos.

Hoje, como disse no início, preciso falar mais, quero poder abrir o coração e dizer o que sinto e o que penso. Me senti na obrigação de abrir o coração para as pessoas que visitam o site a muito tempo, e para os novos visitantes, é claro, mas principalmente para as garotas que me escreveram e-mail pedindo para eu voltar. Bom, o meu recado foi em forma de post e quero dizer que eu voltei e espero ficar por muito tempo.

Por fim, esse espaço continua sendo um lugar de troca de experiências e os comentários são a melhor forma de participação. Sem comentários, quem escreve se sente como se estivesse falando para o além, mas quando vocês comentam, nos dá mais forças para pensar no próximo post.

Outra forma de participar é compartilhando o conteúdo nas suas redes sociais, afinal de contas, sem acessos, o site não consegue pagar as despesas com domínio e hospedagem.

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.