pOESIA_EROTICA_Do_Extase

Do Êxtase

A delicia do amor aguça todos os sentidos.
Transforma o ato de amar em um ritual.
Os dedos procuram lentamente o sexo,
penetram-no,
ficam ali,
entre os lábios da vulva.

As pernas se abrem para deixar o sexo exposto.
Não há duas peles com a mesma textura.
Nunca a mesma luz,
sombras,
temperaturas,
nunca os mesmos gestos.
Somente o pulsar mudo do sexo e do amor
podem criar o êxtase.

Aventureiro livre e incapturável.
Mãos ativas como bocas.
A embriagues mais bela.
Corpos fundindo-se um no outro,
seios,
ventre,
línguas.
Uma luminescência de expectativa e vivacidade;
A morte ébria no êxtase.

Autor: Desconhecido

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.