Lesbicas tem mais orgasmos que mulheres heterossexuais

Lésbicas têm mais orgasmos que mulheres heterossexuais

Aiiin que delícia!!!

É com grande prazer – “Uiiii!” – que trago mais um tema polêmico acerca do orgasmo feminino…

Na última quarta-feira, dia 20 de agosto, o site Lado Bi publicou o artigo: “Lésbicas têm mais orgasmos que mulheres heterossexuais”. O texto foi escrito de acordo com a pesquisa desenvolvida pela Universidade de Indiana, publicado no Journal of Sexual Medicine, sobre como a orientação sexual afeta a frequência do orgasmo em homens e mulheres solteiros. Os pesquisadores concluíram que as mulheres lésbicas atingem o orgasmo mais frequentemente que as mulheres bissexuais e heterossexuais.

“Oh yeeeessssss!”

Os pesquisadores da aplicaram questionários online, preenchidos por 6.151 homens e mulheres entre os 21 e 65 anos, que haviam feito sexo nos últimos 12 meses (anteriores ao início da pesquisa). Os participantes deveriam identificar seu gênero, sua orientação sexual e declarar um percentual de vezes em que chegavam ao orgasmo com um parceiro com o qual eram familiares. Do total de questionários, foram analisados 2.850 questionários, sendo 1.497 respondidos por homens e 1.353 respondidos por mulheres.

De acordo com os resultados apurados através dos questionários: os homens héteros afirmaram chegar ao orgasmo 85,5% das vezes; homossexuais, 84,7% das vezes e bissexuais, 77,6% das vezes que tiveram relações sexuais. Já os resultados das mulheres demonstraram que: as mulheres heterossexuais afirmaram chegar ao orgasmo 61,6% das vezes; as bissexuais, 58% e as lésbicas, 74,7% das vezes que tiveram relações sexuais.

Ressaltamos que os resultados são uma média e portanto, podem sofrer variações de acordo com cada pessoa e parceiro sexual. No relatório dos resultados da pesquisa, foi especulado que: “Essa maior frequência de orgasmos das lésbicas pode ser causada porque mulheres que se identificam como lésbicas, estão mais confortáveis e familiarizadas com o corpo feminino e portanto, em média, são mais capazes de induzir o orgasmo em suas parceiras.” Outros possíveis fatores para explicar os resultados seriam: postura mais amistosa em relação ao gênero da parceira, duração do encontro sexual e os papéis entre quatro paredes.

Além disso, o autor do estudo Justin Garcia, professor assistente de estudos de gênero e um dos diretores do Kinsey Institute na Universidade de Indiana, em entrevista ao site Huffington Post, afirmou: “Pouco se sabe sobre a ocorrência de orgasmos entre homens e mulheres das variadas orientações sexuais durante o tempo de vida adulta. Compreender os fatores que influenciam a variação no orgasmo entre populações de minorias sexuais, pode ajudar a desenvolver terapias comportamentais para pessoas de distintas orientações sexuais. […] Conforme a falta de orgasmo é vista como um problema comum e indesejado, aprender mais sobre os orgasmos em relações homoafetivas, pode abrir caminhos para tratamentos de homens em mulheres em relacionamentos homo e heteroafetivos. Consequentemente, essas descobertas podem contribuir para a promoção de um cuidado de saúde sexual mais positivo e bem informado para todos.”

E você? O que acha de todo esse orgasmos? Deixe sua opinião nos comentários.

Links dos textos e sites que foram utilizados nesse post:

Lado Bi:

http://www.ladobi.com/2014/08/orgasmos-lesbicas/

Journal of Sexual Medicine:

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jsm.12669/abstract

Huffington Post:

http://www.huffingtonpost.com/2014/08/19/lesbians-more-orgasms-traight_n_5691470.html

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.