Por que passivas fazem amor e ativas fazem sexo

Por quê passivas fazem amor e ativas fazem sexo?

Sobre a divisão de papéis na cama e todos os tabus que surgem com isso.

Toda lésbica já teve que responder ao menos uma vez na vida as seguintes perguntas:

“Mas vocês fazem sexo de verdade?”

e

“Mas como que é?”

E por fim

“Mas quem é o homem e quem é a mulher?”

Sim, nós fazemos sexo de verdade. A falta de um pênis não implica na ausência de prazer. Utilizamos a língua e os dedos. Anatomicamente falando, a mulher só precisa de 4 cm de penetração para sentir prazer, ou seja, um dedo da conta suficientemente bem. Mas, se a menina for gulosa, existem hoje em dia acessórios por aí.

Agora, se você é daquelas encanadas, que solta a máxima:

“Se for para eu ser penetrada com um consolo, eu prefiro transar com um homem.”

Minha amiga, entenda que ser lésbica não é abominar os homens ou brinquedinhos que tenham o formato de um pênis. Ser lésbica é se relacionar com mulheres, não só sexualmente, mas também emocionalmente. Porque um relacionamento é algo muito além do sexo. O brinquedinho ta lá para ajudar no prazer e usa-lo não vai te fazer menos lésbica, mas pode te ajudar a sentir mais prazer, ou um prazer diferente.

Ainda hoje usamos a ultrapassada e desnecessária classificação: Ativa X Passiva. Essa classificação confunde bastante o fato de uma lésbica ser mais feminina ou ser mais masculina. Geralmente, as pessoas associam as bofinhas como as ativas e as femininas como as passivas. Mas não é bem assim, alias, não deveria ser assim. Não concordo em dividir ou classificar os papeis de alguém na cama. O prazer deve ser vivido de forma livre.

Também não concordo com as garotas que abrem a boca e soltam:

“Para ficar com uma bofinha, eu fico com um homem.”

Esse é um puta de um comentário preconceituoso. Cada um tem o direito de se vestir e cortar o cabelo da forma que achar melhor. E ficar com uma garota mais masculina, não vai fazer de você menos lésbica. Pois sem roupa somos todas iguais. Você tem todo o direito de não curtir, ou não sentir atração em ficar com uma garota mais masculina, mas é uma ignorância compara-la a um homem. Ou vai dizer que a pegada, a textura da pele e o cheiro também são os mesmos?

A vida fica bem mais leva e gostosa, quando nos desprendemos de certos preconceitos. Por isso curta mais, sem ficar rotulando.

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.