Teatro, Musical e uma linda noite de reconciliacao

Teatro, Musical e uma linda noite de reconciliação

Comprei ingressos para a estreia do Musical Éramos Gays, a fim de me desculpar com Tatiana. Tivemos uma briga por ciúmes, meus, é claro! Depois eu conto como foi!

Corremos muito para chegar no horário, afinal de contas, são duas mulheres se arrumando para sair no sábado à noite, mesmo assim o começo da surpresa foi um sucesso e o fim…

ERAMOS GAYS

♪ ♫ ♪ ♫♪ ♫♪ ♫ ♪ ♫♪ ♫♪ ♫♪ ♫♪ ♫

“Éramos gays. Éramos Reis.
Éramos recheio de um bombom Frances,
O mote e o devaneio de um poeta inglês,
Éramos Reeis, éramos gays, éramos seis éramos gaaays.”
♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪ ♫

– O urso é muito fofo! – disse Tatiana, sussurrando entre risos.
– Eu também gostei! – concordei – Aquele mais moreninho tem uma cara de safado.
– Muito verdade! O físico do bailarino está me deixando com inveja.
Rimos juntas.
– Será que todos são gays? – perguntou Tatiana e ficamos com essa dúvida.
– Amanhã eu pergunto no Facebook.

Saímos do teatro cantando todas as músicas do espetáculo, a sintonia entre nós duas finalmente havia retornado.

– Desculpa ter brigado com você – disse com meu melhor sorriso – sinto muito medo de te perder. Dormi esses dias sem você ao meu lado foi muito difícil. Um dia eu ainda consigo, mas só isso.
– Também te amo, pensei em te ligar no meio da noite, ouvi sua voz.
– Por que não fez Tati?
– Eu sentia uma mistura de tesão, raiva, mágoa. Queria estar nos seus braços – disse Tatiana parando em frente ao carro – Para onde vamos agora?
– Vamos para casa – disse sorrindo, mas não pude ignorar o olhar de decepção de Tatiana, acho que ela esperava ser levada para um motel ou outro lugar mais excitante – Não me olhe assim, temos o melhor motel de todos, não gosto de contar o tempo para estar com você.

***

Combinei com uma amiga para preparar a geladeira e a mesa do jeito que a Tatiana gosta, muitas frutas, alguns cereais, vinho tinto. Se não fosse pelo camarão empanado, porque a Tatiana adora camarão, seria a refeição mais leve de todas. Uma lingerie nova, músicas, muito vermelho em todo o ambiente, alguns artigos de sexy shop, tudo muito sensual. Ficou melhor do que eu esperava.

Quando chegamos em casa, a Tatiana tomou um susto e devo confessar que eu também. Tudo foi feito enquanto estávamos no teatro. Está cada vez mais difícil criar cenários novos para nossas orgias monogâmicas, por isso tive que contar com uma ajudinha.

Sentamos a mesa da sala e provamos os sabores que coloriam a mesa. O olhar sempre penetrante da Tatiana parecia me despir e me deixava excitada.

– Foi você que selecionou as músicas? – perguntou Tatiana.
– Tive muito tempo nesses últimos dias, escolhi a dedo pensando em cada momento desta noite.
– Você se tocou pensando em mim? – quis saber cheia de malícia.
– Acho difícil não me tocar quando fico muito tempo longe de você – confessei – Mas sem você não é a mesma coisa.
– Gosto de ver você se tocar – sussurrou em meu ouvido.
– Gosto de me tocar pra você.

Então nos beijamos. Sem palavras éramos apenas sensações, contra seu corpo meu corpo dizia sim, minhas pernas vacilantes bambeavam. Sua mão com habilidade percorria meu corpo, matando a saudade, saciando o desejo e umedecendo meu sexo.

Era o sabor mais agradável e esperado de toda a noite, finalmente em meus braços, exploramos mais uma vez os nossos limites.

CONTINUA…

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.