conto erótico um jantar para duas

Um jantar para duas

Patrícia colocou sua bolsa no chão e deu um suspiro quando a porta fechou atrás de si. “Alguns dias são apenas muito longos e cheios de muitos idiotas”, ela pensou.

Muitas vezes se perguntou porque tinha decidido se tornar uma Gerente de Projetos. Havia dias em que tudo parecia dar errado. Mas, mesmo nesses dias, ela sabia que amava o seu trabalho, apesar de toda pressão.

Colocando as chaves na mesa do hall de entrada, ela se olhou no espelho, passou os dedos pelos cabelos vermelho-cereja profundo e examinou a raiz que já estava crescendo. “Vou ter que pintar novamente”, ela pensou. No ritmo que o seu cabelo estava crescendo, ela podia muito bem pintá-lo mensalmente.

– Você está em casa mais cedo – disse Alexa totalmente espalhada no sofá e em tom de surpresa.

– Era isso ou assassinato – disse Patrícia em tom cansaço e continuou – Eu escolhi a primeira opção e vim mais cedo sim.

– É tão ruim assim?

– Pior – respondeu Patrícia abrindo a geladeira distraidamente – estamos ficando sem leite.

Elas morava juntas em uma casa grande, uma área aberta no andar de baixo, tinha um grande jardim agradável, com uma piscina e deck. Uma área no andar de cima ostentando um loft, como com uma casa aberta, que era seu sonho de Patrícia.

– Que horas você chegou em casa? – perguntou Patrícia indo em direção ao sofá em que Alexa estava.

– Não tem muito tempo, cerca de uma hora mais ou menos.

– Por que você não passou no mercado? Estamos sem leite.

– Eu teria ido, se eu não estivesse correndo. Saí muito cedo esta manhã, não tive tempo de fazer café. Você deveria ter me ligado.

– Você está dizendo que é minha culpa? – perguntou Patrícia querendo brigar.

– Você fica tão sexy quando está mal-humorada – respondeu Alexa em tom sensual e sorriu para Patrícia.

– Não mude de assunto! – Patrícia parecia querer discutir.

– Não fique tão preocupada com o leite. Vou comprar amanhã, prometo!

– Me desculpe, eu tive um dia longo – disse Patrícia exasperada.

Alexa puxou Patrícia para mais perto, virando-a de costas para que pudesse esfregar seus ombros e pescoço.

– Tudo bem, Patrícia, eu sei como tornar o seu dia melhor. Você só precisa de um banho quente e um bom jantar – Alexa continuou massageando os ombros de Patrícia que começou a se entregar a suavidade do toque e sentir a pressão aliviar sobre seus ombros.

– No que mais você está pensando? – perguntou Patrícia.

– Eu tenho algo um pouco mais convencional em mente – disse Alexa.

– Macarrão de novo? Eu não aguento mais!

– Não é macarrão – respondeu Alexa com um suave sussurro e deslizou os lábios pelo pescoço de Patrícia. Se esforçou para fazer o mais suave dos toques.

Patrícia sentiu o pulso acelerando e o seu corpo respondendo muito rapidamente ao sussurro. Enquanto Alexa deslizava suas mãos sob a sua blusa, Patrícia deixou escapar um gemido.

– Ah…

– É um pouco mais sujo o que tenho em mente.

Os dedos de Alexa percorreram suavemente a pele de Patrícia, até encontrar o sutiã que se abriu com facilidade e, em poucos segundos, os mamilos dela estavam eretos.

– Isso soa bom pra mim – respondeu Patrícia com um pouco mais de compostura e sentiu a língua de Alexa invadir o seu corpo, por seu pescoço até sua orelha, mordendo suavemente. Era possível ouvir o desejo na respiração de Alexa e Patrícia ficou imediatamente molhada.

De frente para Alexa, Patrícia a convidava para um beijo, cheio de língua e desejo.

Esta foi a melhor recepção que poderia ter depois de um dia de trabalho, pensou Patrícia puxando Alexa para junto do seu corpo.

As mãos de Alexa correndo por suas costas, tocando cada centímetro da sua pele. Tirando o sutiã de Patrícia, puxando-a para mais perto, para que ambos os seios estivessem se tocando e esfregando suavemente uns contra os outros.

Alexa empurrou Patrícia no sofá, percorreu com os lábios de encontro aos seios com facilidade, como um viajante em um caminho bem conhecido.

Enquanto isso, Patrícia recebia com prazer os carinhos de Alexa, empurrando seus quadris para cima e sentindo sua necessidade crescendo a cada segundo.

– O quê? – Alexa perguntou com um sorriso irônico no rosto.

– Não seja tão inocente. Você sabe exatamente o quê – disse Patrícia.

– Diga-me de qualquer maneira – Alexa respondeu, sugando suavemente o mamilo de Patrícia. Ela sabia muito bem que esse era um jogo que as duas poderiam jogar.

Puxando o rosto de Alexa até o seu, Patrícia empurrou a calça jeans para fora do corpo e traçou uma linha na orelha de Alexa, sabendo o que ela faria com ela.

– Faz gostoso – Patrícia sussurrou e Alexa puxou seu rosto para mais perto, beijando-a intensamente.

Alexa desabotoou a calça de Patrícia expondo sua buceta e Patrícia sorriu.

– O que foi? – Perguntou Patrícia.

– Você é ótima neste jogo – Alexa disse ainda sorrindo.

– Mas você ama o que eu faço – Disse Patrícia pegando a mão de Alexa e guiando para seu sexo, quente e molhado. Alexa esfregou seu clitóris e deu beijos em seu pescoço, deixando um caminho de beijos até chegar ao sexo de Patrícia. Lá a sua língua permaneceu, provocando e criando um desejo como nenhuma outra língua saberia fazer.

Alexa colocou os braços ao redor da cintura de Patrícia, puxando seus quadris para mais perto. Ela deixou pequenos beijos em seus lábios inferiores, mostrando a língua, traçando uma linha por todo o caminho em volta da buceta de Patrícia, provando sua umidade como ela fez. Patrícia gemeu baixinho, suas mãos mergulhavam e puxaram os cabelos de Alexa indicando a direção a seguir e empurrando seu rosto para dentro dela.

– Foda-me, baby! – Ela disse, gemeu e Alexa fez o que lhe foi dito. Sua língua brincou com o clitóris de Patrícia e deslizou dois dedos para dentro dela, sugando suavemente. Sua outra mão se moveu para cima do corpo de Patrícia, tomando um mamilo entre os dedos e a dureza dele era óbvia.

Patrícia gemia e sempre apertava os dedos de Alexa, empurrando-os mais fundo para dentro de si.

– Oh, sim, amor, não pare! Continua fazendo gostoso! – Patrícia gemeu.

Alexa então chupou mais rápido e dava pra sentir a umidade de Patrícia aumentar e também a sua própria escorrer pelas pernas.

Ela adorava ter Patrícia daquele jeito. Molhada, gemendo e implorando para ter mais. Sua própria buceta ardia de desejo, enquanto comia Patrícia.

Chupando e penetrando simultaneamente como Patrícia, empurrou o rosto dela com mais força contra o clitóris dela e Patrícia empurrou os quadris para cima, ainda mais, a necessidade de ter a língua em sua buceta crescia e um gemido alto escapou.

– Porra, sim! – Ela gritou, arqueando as costas e as mãos agarravam no sofá para se segurar enquanto gozava.

Alexa fez novamente o caminho pelo corpo de Patrícia, seus dedos ainda dentro dela, diminuíram até parar o movimento e as duas se beijaram por um longo tempo.

As duas continuaram a transar, mas, dessa vez, rosando os sexos muito molhados e sem parar de se beijarem.

– Venha para mim, baby – Disse Patrícia sussurrando no ouvido de Alexa. E Alexa começou a esfregar o sexo na coxa de Patrícia e deixando ela toda molhada e gozando em cima de Patrícia.

– Seu dia pode não ter começado bem, mas está terminando muito melhor, não é mesmo? – Perguntou Alexa, ainda movendo os quadris na coxa de Patrícia, apenas ligeiramente, pois o clitóris ainda estava sensível ao toque, mas a sensação era ainda agradável.

– Sim! Definitivamente, terminou melhor do que eu esperava – ela respondeu com um sorriso.

– Que bom! Você sabe joga muito bem! – Disse Alexa beijando seu pescoço mais uma vez e, logo depois, se esticou para pegar a água na mesa de café, entregando a Patrícia – Beba! Depois do jantar, teremos uma segunda rodada!

As duas jantaram nuas, cobertas apenas com a umidade do gozo de instantes atrás e depois do jantar… Bem, depois do jantar é outra história.

Esse texto foi traduzido do inglês e adaptado a realidade do Brasil por Simone Amorim.

Você pode conferir o original no site: http://www.nifty.org/

Related Posts

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.